Home / Brasil / É boato: O voto em branco não gera voto parcial

É boato: O voto em branco não gera voto parcial

Circulou nos últimos dias a notícia falsa de que, se o eleitor votar apenas para presidente e optar pelo voto em branco para os demais cargos, teria todas as suas opções anuladas, porque configuraria “voto parcial”. O texto, amplamente compartilhado no aplicativo WhatsApp, configura mais um caso de Fake News.

O autor da mensagem sugere ser um mesário que recebeu a orientação durante treinamento. Inclusive afirma que questionou “a instrutora” no momento, e que a informação foi repetida. A Justiça Eleitoral esclarece que, em nenhum momento, transmitiu essa orientação.

Em nossa legislação, não existe voto parcial. Mesmo o eleitor que vota para um ou mais candidatos e abandona a cabine de votação terá preservados os votos já efetuados, anulando-se apenas os seguintes. No caso dos votos brancos ou nulos, eles em nada interferem nos votos válidos do eleitor. Cada voto, portanto, é sempre autônomo em relação aos demais.

Fake News Além de muitas vezes desinformar e confundir o eleitor, as fake news têm sido utilizadas com fins eleitorais, de modo a privilegiar ou prejudicar uma ou mais candidaturas. A melhor forma de evitar a propagação desses boatos é checar a fonte antes de compartilhar mensagens em redes sociais. Mensagens com notícias sem fonte, suspeitas, alarmantes e/ou com erros gramaticais são quase sempre mentirosas.

Eleitor que estiver fora de seu domicílio no dia da eleição tem que justificar o voto

No domingo, 7 de outubro, os eleitores terão que votar em seis candidatos para os cinco cargos em disputa nas Eleições 2018, na seguinte ordem: deputado federal, deputado estadual ou distrital, dois senadores, governador e presidente da República.

Para não esquecer os números dos seus candidatos no momento da votação, a Justiça Eleitoral disponibiliza a chamada “cola eleitoral”, que pode ser levada à cabina de votação.

É importante digitar o número de cada candidato com atenção e conferir a foto do político escolhido antes de apertar a tecla “Confirma”. Caso ocorra algum erro, o eleitor pode apertar a tecla “Corrige” antes de finalizar o processo e digitar o número novamente.

Para votar no deputado federal, o eleitor terá que digitar quatro números urna eletrônica e, em seguida, apertar a tecla “Confirma”. Para o cargo de deputado estadual ou distrital, será necessário digitar cinco números e, novamente, apertar a tecla “Confirma”.

A escolha seguinte será de senadores. Como o Senado terá uma renovação de 2/3 de seus integrantes, neste ano o eleitor deve escolher dois candidatos. No caso, será necessário digitar três números na urna e apertar a tecla “Confirma” para votar para a primeira vaga. O mesmo processo deve ser repetido para a escolha do segundo candidato. O eleitor deve estar atento: se o mesmo número for digitado para os dois cargos de senador, o segundo voto será anulado.

Já se encaminhando para o fim, o eleitor deverá registrar o voto para governador e, por último, presidente da República, ambos com dois dígitos.

Depois de concluída a etapa de votação, a urna fará a gravação, criptografia e assinatura digital do voto. Feito isso, a palavra “FIM” aparecerá na tela, e a urna emitirá um sinal sonoro. A votação, portanto, estará concluída com sucesso.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *